Partida

Vai-se logo e breve, depois de tão pouco tempo.
Vá embora e leve… Leve a dor e seus unguentos.
Mal pude ver e tocar, sequer torná-lo rotineiro
Num segundo desta hora, seu segundo derradeiro.

É chegada de repente a brusca vinda iluminada,
Como raio e clarão, com trovão entrelaçada,
Mas tão logo se ilumina, por Deus bela esculpida,
Já é hora de sair, já é dada às despedidas.

A presença que me é perene-sazonal,
A presença de minhas horas fadigadas,
É recanto de minha dor descomunal,
É lembrança de felicidade abortada.

Entre horas e tempo de dias,
Refulge ainda o que ficou,
Eis a soma de minhas alegrias,
Eis o cravo que me fincou.

Tua partida é uma ferida,
Que fere a alma partida.

Tua partida em minha vida,
Faz a vida parte ida.

 

2 comentários

  1. Lindo poema! Quisera eu ter este dom, de brincar com as palavras facilmente fluindo as idéias e pensamentos. Parabéns! Sou seu maior fã. Continue assim, e que Deus continue a te abençoar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s