Carta aos formandos

Hoje existe um nó indeciso na garganta. É um quase choro das crianças que chegaram, misturado com um quase choro dos adultos que estão saindo. Como isso se define? Tem ali um pouco de medo. Vários deles. Medo do que vai vir agora, medo da separação, medo de ter vivido o melhor da vida. Há também saudade do que ainda se tem nas mãos, mas como isso é possível? Nada acabou; no entanto, a sensação é de se estar vivendo dentro de uma memória. A vontade é de agarrá-la enquanto há tempo, mas, amigos, ela tem que ir.

Não foi tudo só notas e matérias, foi descobrir-se, saber dos seus limites e tentar forçá-los um pouco mais. Expansão de alma, não só de mente. Esses anos, tão rápidos, vieram para ensinar a vocês que a partir de agora a vida tem pressa. Os anos vão ser mais velozes e tantas vezes injustos, mas olhar para trás será um refrigério. Daqui para frente, há um pedaço da vida de vocês que vai sempre trazer um sorriso especial. Alguns de vocês já viram isso, outros verão depois, mas havia ali no corredor uma felicidade límpida e disposta, jovem, que entrava para as salas de aula e descia pra cantina. Ela ligou vocês, criou entre estranhos uma sensação de irmandade que às vezes nem em casa se encontra. Pessoas que surgiram do nada que, de repente, estão na sua história como partes fragmentadas de você. Por mais que agora cada pedacinho seu vá para um lado, você vai conseguir ser maior que antes. Não é mágico? Eu não tenho outra palavra.

Os caminhos são muitos e estão aí, esperando o primeiro passo. Não se acovardem, caminhem. Não há distância, nem dificuldades, não há limites. O ciclo fechou, mas outro começa, e agora vocês têm maturidade para ver a beleza disso. Eis nossa eterna jornada do herói, meus amigos, sair do nosso mundo do conforto e encarar o caos. Somos todos heróis, lembrem-se disso. Existe um mundo novo agora e ele assusta (a todos nós), mas agora vocês estão deixando o mentor para trás, levando na mala o que é preciso para vencê-lo. Não, não são as notas, nem conteúdo, embora isso ajude, são as experiências. Vão estar com vocês, o tempo todo, a amizade, a vontade, a garra, a felicidade de fazer o que se ama.

Não pensem que o melhor já passou, porque agora a cortina abriu para o festival começar. O que desejo a vocês foi dito há muito tempo atrás: arrisquem fazer, ousem tentar. Não há pecado na arte (o inferno fora daqui!), porque não há limite para o artista. Vocês, meus amigos, são artistas. Deixem-se voar nas tintas e papéis, nos filmes e nas coreografias, nas peças e nas fotos, sejam o mundo e o tornem mais belo! Mas levem sempre na mochila esses anos preciosos, quando a luz enfim apagou para o show começar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s